Saiba os riscos de investir no Tesouro Direto

Apesar de o Tesouro Direto ser considerado uma das opções mais seguras pelo mercado, é sempre bom lembrar que não existe investimento sem risco. Até mesmo governos podem ser acometidos por episódios de inadimplência.
Existem ainda as incertezas inerentes ao tipo de título e às suas variações:
No caso de o investidor esperar até o vencimento:
Pós-fixadas
Nos títulos que seguem a Selic (LFT), se o juro de mercado cair, o investidor receberá menos do que ganharia se tivesse comprado um título prefixado ou até mesmo um juro menor do que a inflação no período.
Nos títulos que combinam inflação e juros prefixados (NTN-Bs), a parcela de remuneração prefixada, como o próprio nome diz, não muda se o juro de mercado subir, resultando eventualmente em uma remuneração menor do que a que seria obtida com um título pós-fixado puro.
Préfixadas
Se o juro de mercado subir ou a inflação for maior do que a projetada quando o título foi comprado, o investidor resgata um valor menor do que se tivesse investido em um título pós-fixado.
No caso de o investidor resgatar antecipadamente:
Pós-fixadas
Nos títulos que seguem a Selic (LFT), o juro de mercado pode ter caído em relação à data do investimento, resultando um resultado menor do que o indicado naquele momento.
Nos títulos que combinam inflação e juros prefixados (NTN-Bs), pode ocorrer uma rentabilidade maior ou menor do que a prevista na hora da aplicação, tanto pelas flutuações na taxa de juro de mercado como pela variação da expectativa de inflação dos agentes financeiros.
Préfixadas
Pode ocorrer uma rentabilidade maior ou menor do que a prevista na hora em que investiu, em função da variação da taxa de juros praticada no mercado na hora do saque.

Fonte: http://www.bmfbovespa.com.br/pt-br/mercados/outros-titulos/tesouro-direto/saiba-os-riscos-de-investir.aspx?idioma=pt-br